CRISE: como lidar com as dívidas do meu negócio?

18/04, 20 | Campinas, Dicas Legais, Dicas para empreendedores | 0 Comentários

Olá, prezados amigos!

A pandemia do novo coronavírus (Covid-19), trouxe consigo uma crise nunca antes vista pela humanidade. Para quem tem empresa este é um momento de medo, incertezas e, provavelmente, dívidas. Por isso, trouxe algumas dicas para ajudar o empreendedor ou microempreendedor a enfrentar a crise sem precisar burlar o isolamento social, medida essencial na luta contra o vírus.

A melhor saída é negociar as dívidas. Além disso, um empréstimo para arcar com os compromissos pode ajudar a manter a empresa ativa. Neste post explicarei qual a melhor solução para o seu negócio.

Pegar um empréstimo para realizar o sonho de ser o próprio chefe, ou fazer o negócio crescer é muito comum. Quem já tinha uma empresa antes da pandemia, ou estava planejando montar um empreendimento, sabia que podia contar com crédito para fazer melhorias no negócio e até mesmo expandi-lo.

No entanto, agora, a situação mudou. Provavelmente, você, que tem uma empresa, vai precisar usar um financiamento para enfrentar as baixas nas vendas e receitas, a fim de pagar dívidas, compromissos, fornecedores e funcionários.

Sei que este é um momento árduo, que pode tirar o sono da grande maioria dos empreendedores. Em vista disso, meus amigos, trouxe um guia para ajudá-los a lidar com a crise. O segredo é achar um equilíbrio entre a negociação e a tomada de empréstimo.

Como renegociar a dívida

Para renegociar uma dívida é preciso apertar os cintos. O primeiro passo é rever os processos operacionais da empresa, de forma a reduzir os custos e as despesas. Depois, estude formas alternativas de aumentar a entrada de dinheiro. Por fim, faça um plano de pagamento para a dívida. Ele servirá de base para uma negociação com o credor.

Para elaborá-lo siga as instruções abaixo:

1. Projeção de fluxo de caixa

Inicialmente faça uma projeção de fluxo de caixa. Todos os valores devem estar devidamente justificados. É fundamental que a projeção seja realista e passem credibilidade ao credor. Só haverá uma renegociação se ele confiar nas suas intenções e capacidade de honrar seus novos compromissos. O fluxo de caixa projetado mostrará os valores que estarão disponíveis para o pagamento das parcelas da dívida.

2. Valores adicionais disponíveis

Verifique se há a disponibilidade de outros recursos para o pagamento de parte da dívida. Eles podem vir da venda de um veículo, de estoque, máquinas, entre outros. Oferecer um valor de entrada na renegociação de uma dívida será uma mostra da vontade de pagar e trará mais confiança para a negociação. Tome o cuidado, entretanto, para que esse valor não gere mais prejuízos.

3. Cálculo dos valores do financiamento

Recalcule os valores das parcelas a pagar, alterando prazos, taxas de juros e valores de multas, de forma que caibam nas disponibilidades identificadas nos passos anteriores. Caso tenha mais de uma dívida, organize-as em ordem de prioridade, mantendo sempre a visão sobre a situação global da empresa. Lembre-se de que essa deve ser uma negociação em que as duas partes ganham, portanto, não proponha algo que não seja factível. Deixe uma margem para a negociação.

Na hora de negociar:

E

Não encare o credor como um adversário, mas sim como um parceiro na busca de uma solução para o problema de ambos.

 

E

Seja verdadeiro, é a melhor forma de transmitir credibilidade.

 

E

Evite o envolvimento pessoal na discussão, estamos tratando de negócios.

 

E

Defina seus limites na negociação.

 

 

E

Esta é uma negociação em que ambas as partes podem ganhar juntas.

Quando devo contratar um empréstimo?

Caso você não consiga renegociar a dívida e precise partir para um financiamento, primeiro reflita: o valor final da nova dívida será menor que o da atual? O prazo da nova dívida é maior e vai me possibilitar refazer o caixa depois da crise?

Se você decidir que vale a pena recorrer ao crédito, lembre-se de que estamos vivendo um momento atípico e que ele é emergencial. Ou seja, serve apenas para manter o negócio ativo, não é o momento de se arriscar.

Mas não desanime, como tudo na vida, a crise passará. Veja algumas dicas que eu separei, caso opte pelo empréstimo:

1. Identifique a necessidade de crédito

É importante ter claro o valor do financiamento e a finalidade do recurso pretendido. Quais dívidas vai pagar? Fornecedores e funcionários? Aluguel? É preciso ter certeza para poder fazer todo o planejamento financeiro.

2. Busque informações e escolha a instituição financeira

Informe-se sobre as linhas de financiamento que melhor se enquadram nas suas necessidades de crédito. Depois, procure quais instituições financeiras operam com essas linhas. Essa pesquisa vale ouro, porque as condições de custos, prazos e limites, por exemplo, podem variar bastante de banco para banco, e muitos deles estão com taxas diferenciadas neste momento.

3. Analise os fatores de restrição

É imprescindível estar com todos os fatores de restrição (como situação legal, garantias e capital próprio, por exemplo) adequados às exigências das instituições financeiras. Ainda que o governo tenha exigido que elas flexibilizassem esses fatores, muitos empresários estão tendo dificuldade com as solicitações dos bancos.

4. Elabore o plano de negócios

Você terá que mostrar ao banco que o seu projeto é financeiramente viável. O melhor modo de fazer isso é apresentando o plano de negócios. Não esqueça: algumas instituições financeiras solicitam que o estudo da viabilidade do projeto seja realizado com uma ferramenta da própria instituição. Então, organize-se!

5. Efetue o pedido de financiamento

Vá até a instituição financeira e forneça ao gerente a documentação necessária, as garantias solicitadas e o plano de negócios, mostrando a viabilidade do projeto. Depois de concluir esses procedimentos, a instituição financeira analisará o projeto e retornará para informar a liberação ou a restrição ao financiamento.

Fique atento

E

Um bom histórico de relacionamento com o banco influencia positivamente. Procure entrar em contato com o banco onde você já é cliente e avalie as condições oferecidas. Mas, claro, não deixe de pesquisar outras opções.

E

O banco quer correr o mínimo de risco possível. Por isso, é fundamental elaborar um estudo com a análise de mercado, produto, operação e finanças, mostrando a viabilidade do projeto e a sua capacidade de pagamento.

Conclusão

Durante os tempos de crise, como a que vivemos hoje, é através do planejamento que sua empresa poderá achar um meio de prosperar. Quando negociar uma dívida organize-se de forma detalhada e estude novas ideias.

Contrate um empréstimo apenas se for realmente necessário. Antes, pense em todas as questões que levantei aqui. Faça um plano de ação para usar o crédito com sabedoria e não deixe de pesquisar qual é a melhor estratégia para você.

Lembre-se que agora é a hora de ficar em casa para evitar um pico de transmissão da doença. Como todas as outras crises, essa também passará e seu negócio voltará a prosperar.

Portanto, meus amigos, não se desesperem. Mantenham a calma e com a cabeça tranquila, esforço e muita organização, iremos superar a crise.

Até a próxima!